quarta-feira, 10 de maio de 2017

Inflação em queda, até que ponto isso é bom?

O governo e a mídia deveriam ter vergonha em falar de recorde na queda dos índices de inflação, como algo muito positivo, no contexto em que vivemos no Brasil. Sabe-se que os preços dos produtos estão diretamente relacionados ao nível de atividade econômica, lei da oferta e da procura. Com 14 milhões de desempregados, renda salarial dos trabalhadores caindo a cada mês e as pessoas sem dinheiro para comprar, a queda da inflação é algo óbvio demais para ser comemorado!


O governo e a mídia brasileira novamente tratam o povo brasileiro como se estivessem no jardim de infância! É impressionante como o governo e a mídia tentam enganar a população com informações descontextualizadas e sem aprofundamento.

Em grande parte dos jornais das emissoras brasileiras hoje foi informado, de forma muito e, exclusivamente, positiva, a ocorrência de queda nos índices de inflação. Como se esse resultado se desse apenas por ações positivas realizadas pelo novo governo de Michel Temer e levando o povo a pensar que a economia felizmente está no caminho certo. 

Será mesmo que está? Se o caminho certo é acabar com o emprego, reduzir o salário de toda uma população, quebrar boa parte das nossas empresas, reduzir o nosso PIB em níveis recordes, acabar com a arrecadação governamental devido a falta de consumo e, consequentemente, aumentar criminosamente a nossa dívida pública, são os preços a serem pagos para se ter inflação baixa, o governo e a mídia estão no caminho certo! Entretanto, eu prefiro uma política que haja um aumento da inflação, de forma controlada, com aumento da renda real dos trabalhadores, aumento do emprego, aumento da atividade econômica e do consumo, avanço do PIB, da arrecadação do Estado e a redução da dívida pública. O caminho para se chegar ao que pretendo é exatamente o contrário do que esses jornais e esse governo propõe na política econômica.

Acreditando que toda a população brasileira é ignorante e não possui nenhum conhecimento sobre os princípios de economia e a relação direta entre a atividade econômica e a inflação, a mídia manipula a população de forma extrema e sem nenhum pudor. Cabe ao povo buscar informações alternativas, avaliar as entrelinhas de cada reportagem, para que compreenda o verdadeiro contexto da situação econômica, política e social do Brasil, que não devem ser dissociados em nenhuma análise de temas similares a esse.

Não se engane, a queda da inflação atualmente se dá devido a perda de renda, desemprego recorde da classe trabalhadora, que faz com que a população não tenham dinheiro para comprar os produtos existentes no mercado. Como há uma relação direta entre a oferta e a demanda dos produtos, ocorre que, quanto mais oferta há de determinados produtos no mercado, ou seja, produtos sobrando, o preço desses produtos tende a reduzir, causando uma redução dos índices de inflação, que é o que está acontecendo nesse momento. O processo inverso acontece quando há maior demanda por produtos do que oferta no mercado, que foi o que aconteceu nos últimos anos de governos do PT, quando a população tinha recursos, salários, emprego e comprava produtos em grande quantidade. Nesse caso, a demanda era maior do que a oferta de produtos e os mesmos subiam de preço e, por esse motivo, tivemos uma inflação considerada acima da meta no último ano de governo do PT.

Diferentemente do que a mídia e o atual governo dizem, para você trabalhador, a inflação baixa, nem sempre, é uma notícia positiva como eles querem fazer acreditar, bem como, inflação alta nem sempre é ruim, para o trabalhador, como sempre quiseram apresentar para a população durante os governos do PT para criminalizar a política do partido. Inflação alta com poder de compra alto não tem nada de negativo, desde que haja ganho real na renda dos trabalhadores, ganhos esses que foram aumentados em todos os anos de governo do PT, tendo o salário mínimo aumentado, em valores reais, acima da inflação, 75% nos 13 anos de governo do Partido dos Trabalhadores, conforme pode se ver no gráfico ao lado. Quando a linha azul está acima da vermelha há um ganho real no salário mínimo, ou seja, o aumento do salário mínimo foi superior ao índice de inflação.

A relação entre ganho real e poder de compra que é muito mais importante do que a inflação, na minha visão, pode ser verificada no gráfico ao lado. Para o ano de 2015 em que o país teve uma inflação acima da meta, houve um ganho real do salário mínimo de 2,46%, que normalmente é o ganho médio de renda de todos os trabalhadores do país, a massa salarial. No ano de 2016 o salário mínimo cresceu menos do que em 2015, portanto mesmo com uma queda da inflação o poder de compra dos trabalhadores tenderá a ficar muito menor do que em 2015, aumentando, aproximadamente 0,36%. Para o ano que vem a projeção do governo é dar o aumento de acordo com a inflação do ano anterior, isso faz com que o poder de compra dos trabalhadores que ganham um salário mínimo, que é a maioria da população, responsável por grande parte da massa salarial diretamente ligada ao consumo, tende e ficar congelado, ou seja, os trabalhadores em 2017 tendem a ganhar o mesmo valor do que ganhavam em 2016 sem nenhum aumento real. O que é muito pior para os trabalhadores do que com uma inflação um pouco mais alta e com ganho real do poder de compra.

Anderson Silva