quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Servidores se movimentam na cidade de Teófilo Otoni contra cortes na Educação

PEC 241 e PLP 257 retira recursos da Educação, Saúde e outras áreas sociais, precariza o trabalho no serviço público, reduzindo benefícios e congelando contratações através de concursos


Os servidores da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri (UFVJM) juntamente com os servidores do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) da cidade de Teófilo Otoni, saíram hoje as ruas para informar a população sobre as propostas do governo Michel Temer (PMDB) que reduz recursos nas principais áreas do serviço público.

Entre as principais propostas que afetam diretamente os serviços prestados a comunidade estão a PEC 241 que institui um controle de investimentos para áreas como saúde, educação, entre outros serviços por 20 anos e, a PLP 257 que também estipula um teto de investimentos nos níveis municipal, estadual e federal, que de forma prática, precariza os serviços a medida que suspende novas contratações, retira direitos dos trabalhadores e altera a contribuição do INSS para servidores do regime único, além de outras medidas visando reduzir recursos para pagamentos dos trabalhadores.


Na atividade houve a distribuição de uma Carta Aberta a Comunidade assinada pelos Técnicos Administrativos da UFVJM, que está disponível no link a seguir: 
http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/2016/09/carta-dos-tecnicos-administrativos-em.html#more

Na carta o Técnicos demonstram preocupação com a redução dos recursos para a educação e a retirada de direitos dos servidores. Para os técnicos as propostas de redução de investimentos em educação estão na “contra mão” de um desenvolvimento futuro para o país, já que, apenas através da educação é possível desenvolver a sociedade e chegar a uma efetiva justiça social.

A atividade iniciou na praça Tiradentes e foi percorrendo as ruas do centro da Cidade de Teófilo Otoni. Os manifestantes estendiam faixas quando o sinal era fechado e realizavam a panfletagem para informar a população sobre as propostas do governo atual. No decorrer da atividade que durou aproximadamente duas horas foram distribuídos aproximadamente 1000 folhetos com a Carta Aberta a Comunidade.

A atividade dos Técnicos Administrativos em Educação faz parte dos movimentos de paralisação ruma a greve geral convocada pela CUT. As atividades têm como lema principal “Nenhum Direito a Menos” e visa combater os ataques aos serviços públicos através da redução de verbas para as áreas de saúde, educação, segurança entre outras áreas de atendimento a comunidade.

O movimento também visa alertar a população sobre as propostas do governo atual na área trabalhista que instituem a terceirização de todas as atividades, aumento da carga horária de trabalho e reforma da previdência que pretende aumentar a idade mínima de aposentadoria para 65 anos, além de retirar a vinculação do recebimento da aposentadoria ao salário mínimo, reduzir os valores das pensões, entre outros direitos que estão previstos para serem retirados pelo governo Michel Temer do PMDB.

Leia mais sobre a reforma da previdência no texto a seguir:
http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/2016/09/previdencia-aposentadoria-aos-65-70-anos.html#more

A próxima paralisação nacional está prevista para ocorrer no dia 05 de outubro de 2016.

Blog do Anderson Silva
http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/