sábado, 15 de julho de 2017

Assim como era esperado, Moro condena Lula sem provas

Mesmo sem nenhuma prova que comprovasse crime por parte de Lula, em uma sentença frágil e totalmente fora dos preceitos legais brasileiros, segundo a maioria dos juristas e advogados que analisaram o caso, Moro decide condenar Lula após pressão da mídia e dos empresários brasileiros


A mídia brasileira não quer ver Lula de maneira nenhuma nas próximas eleições, pois, sabe que as chances dele ser eleito são enormes. Porque Lula mesmo depois de tantos ataques continua tão forte eleitoralmente? Porque ele representa o povo e os anseios do povo. Ele representa a ascensão social das classes menos favorecidas, ele representa a inclusão do pobre no orçamento, ele representa inúmeras conquistas sociais do povo brasileiro e isso, parte do povo que não tem memória curta, sabe e valoriza.

Lula hoje é primeiro lugar em todas as pesquisas eleitorais. Mesmo tendo feito um dos melhores governos da história do Brasil, tendo distribuído renda e feito o país crescer como nunca durante o seu mandato a mídia, a justiça e os empresários brasileiros, que nunca ganharam tanto como em seu governo, não querem ver Lula presidente. Se o preço a pagar para que ele não ganhe as próximas eleições seja a sua condenação de forma injusta e sem prova de crime, que assim seja, afinal de contas, justiça no Brasil é algo que não tem existido nos últimos tempos.

Vamos analisar algumas das últimas decisões da justiça brasileira: descobriram Temer a negociar com o empresário da JBS o pagamento de propinas para Eduardo Cunha, visando mantê-lo calado. Nessa investigação tiveram filmagens, pessoas recebendo dinheiro da propina ligados a Michel Temer e a Aécio Neves. No decorrer das últimas semanas a nossa justiça soltou todos eles com provas e agora quer prender Lula sem nenhuma prova. Será que isso pode ser chamado de justiça? 

Outro detalhe sempre destacado pelas pessoas que observam as ações de Sérgio Moro e a justiça brasileira nos últimos tempos é o tempo perfeito em que eles lançam as sentenças. Antes das eleições de 2014 sentenças foram dadas poucos dias antes das eleições para tentar interferir nas intenções de voto e em 2016 aconteceu a mesma coisa. Inclusive, Alexandre de Morais, enquanto era Ministro da Justiça de Michel Temer, hoje Ministro do STF, soltou em um palanque eleitoral que mais pessoas ligadas ao PT seriam presas no dia seguinte a ação de campanha dos candidatos do PSDB no interior de São Paulo, fato que se confirmou no dia seguinte. 

Com raras exceções, hoje a justiça brasileira se mostra uma justiça partidária e aparelhada, onde determinados grupos políticos estão acima da Lei. Quem imagina que em qualquer outro lugar do mundo um político que tivesse cometido os atos que cometeu Aécio Neves, depois de tão pouco tempo estaria novamente no parlamento votando medidas extremamente importantes do país como a Reforma Trabalhista, por sinal, voto contra o povo e a favor dos empresários, os mesmos envolvidos nas propinas que ele recebeu?

Mas, voltando ao caso Lula, como já havia descrito em uma postagem anterior sobre o tema, ele já estava condenado desde que a sua denúncia foi aceita pelo juiz. Denúncia essa tão fraca e tão sem materialidade, que se fosse nas mãos de um juiz imparcial não deveria nem ter sido aceita, mas era o Moro do outro lado. 

Portanto, essa condenação já era mais do que esperada por todos. O que surpreendeu mesmo foi o tempo usado por Moro para a ação. Logo após a aprovação de uma Reforma que vai prejudicar milhões de trabalhadores do país, ele solta essa sentença em uma tentativa de desviar o foco da população para Lula e não nos políticos que, em sua maioria, pertencem aos grupos ligados a direita do Brasil, grupos esses claramente defendidos pela justiça do país e que no dia anterior tinham votado contra o povo na Reforma Trabalhista. Assim, além de condenar um dos presidentes mais respeitados no Brasil e no Exterior, sem provas, ainda impossibilitou que a população se atentasse a um dos acontecimentos que mais impactarão em suas vidas no decorrer dos próximos anos e quem eram os responsáveis por aquelas ações que transformarão profundamente, negativamente, as futuras gerações.

Após a condenação a reação mundial foi imediata. Pelo respeito que tem Lula se tornou o centro das atenções mundiais tendo o seu nome como o mais citado no Twitter. Nos dias seguintes o PT quebrou o recorde no número de novas pessoas interessadas em se filiar no partido, atingindo 350 mil pessoas em pouco mais de 2 dias, como forma de protesto contra a ação totalmente parcial do juiz de Curitiba. 

Agora é aguardar as próximas semanas quando teremos novas pesquisas de intenções de votos para saber como essa notícia impactará na popularidade do maior líder popular da história do Brasil. Os advogados do ex-presidente vão recorrer a sentença e a decisão sobre a manutenção de sua condenação será feita por três desembargadores do Tribunal Regional Federal de Curitiba. Se eles cumprirem os preceitos constitucionais e não houver nenhum fato novo, deverão absolver Lula em segunda instância. Entretanto, estamos passando por momentos difíceis no nosso país, como citei anteriormente, onde a Lei, não tem sido cumprida com exatidão pelo judiciário e a pressão da mídia e dos empresários tem contado mais do que as provas para se condenar, portanto, estamos no meio de uma incógnita com relação a esse julgamento que tende a acontecer em meados do ano que vem, ano de eleições presidenciais. 

Anderson Silva

Leia mais em: O ENCONTRO DE LULA E MORO
Link: http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/2017/05/o-encontro-de-lula-e-moro.html

O QUE REPRESENTARIA A VITÓRIA DE LULA EM 2018
Link: http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/2017/04/o-que-representaria-vitoria-de-lula-em.html

A JUSTIÇA BRASILEIRA TEM LADO. É O CONTRÁRIO DO POVO
Link: http://andersonsilvaesociedade.blogspot.com.br/2017/07/a-justica-brasileira-tem-lado-e-o.html